Home | Blog | Tipos de teste do pezinho: o que cada um deles detecta

Tipos de teste do pezinho: o que cada um deles detecta

Tipos de teste do pezinho: o que cada um deles detecta

Achou que a bateria de exames acabava com o fim da gravidez? Que nada! Um dos primeiros compromissos dos pais após o nascimento é escolher um entre os diversos tipos de teste do pezinho e levar o bebê! Tradicional, o método continua sendo indispensável para detectar doenças genéticas, endocrinológicas e metabólicas, devendo ser feito, preferencialmente, entre o 3º e o 5º dia de vida.

Atualmente, a variedade de exames é bastante ampla e atende a diferentes necessidades. Neste artigo, explicamos os alcances de cada um. Continue a leitura e confira!

Qual é a importância do teste do pezinho?

No Brasil, o teste do pezinho é obrigatório. A importância da triagem neonatal é tanta que, recentemente, o Sistema Único de Saúde (SUS) ampliou sua capacidade de testagem.

Com a Lei Nº 14.154/2021, o exame oferecido na rede pública aumentou o rol mínimo de seis para 50 doenças. Até então, ele abrangia apenas o rastreamento da fenilcetonúria, hipotireoidismo congênito, fibrose cística, síndromes falciformes, hiperplasia adrenal congênita e deficiência de biotinidase.

A ampliação, que está sendo realizada de forma escalonada, deve ser concluída até 26 de maio de 2022. A demora para entrar em vigor corresponde ao prazo de 365 dias decorrentes da aprovação da lei.

Dados do Ministério da Saúde mostram que, anualmente, o teste é feito em cerca de 2,4 milhões de recém-nascidos. Seu objetivo é identificar distúrbios e doenças em fase pré-sintomática, ou seja, em tempo oportuno para iniciar o tratamento adequado, minimizando os danos à criança.

Entre as doenças diagnosticadas, destacam-se o hipotireoidismo congênito e a doença falciforme. Juntas, essas patologias correspondem por 77% dos casos identificados no teste do pezinho.

Quais são os riscos de não realizá-lo no período indicado?

O período preconizado para realizar o teste do pezinho é entre o 3º e o 5º dia de vida do bebê, podendo se estender, no máximo, até o 90º dia. A agilidade é necessária para prevenir atrasos no desenvolvimento neuropsicomotor ou mesmo o óbito.

Isso porque, caso existam problemas, quanto antes forem identificados, mais rápido começam os tratamentos. Dessa forma, as chances de evitar complicações graves aumentam consideravelmente.

Como é feito e quais são as doenças diagnosticadas?

O teste do pezinho é realizado com uma picadinha no calcanhar do bebê, uma das regiões mais irrigadas pelos vasos sanguíneos. Isso o torna rápido e pouco invasivo.

O exame permite identificar, precocemente, uma série de doenças. A seguir, conheça as principais, as quais estão presentes em todos os tipos de teste do pezinho:

  • hipotireoidismo congênito, uma redução na produção do hormônio da tireoide que pode levar ao retardo mental;
  • doença falciforme, que reduz a capacidade das hemácias transportarem oxigênio pelo organismo, provocando fraqueza, apatia e dor generalizada;
  • fenilcetonúria, a qual prejudica o sistema neurológico;
  • fibrose cística, a qual afeta os aparelhos digestivo e respiratório, assim como as glândulas sudoríparas;
  • hiperplasia congênita da suprarrenal, a qual compromete a produção de hormônios essenciais à vida;
  • deficiência de biotinidase, a qual leva a atrasos no desenvolvimento, surdez, convulsões, entre outros problemas graves.

Por que existem diferentes tipos de teste do pezinho?

Além da versão básica, alguns tipos de teste do pezinho são mais abrangentes. Um exame mais completo pode detectar doenças que passariam um longo período despercebidas, deixando de receber o tratamento adequado e podendo se agravar.

No caso dos portadores de doenças raras (que atingem de 6% a 8% da população brasileira), por exemplo, o diagnóstico precoce possibilita mais qualidade de vida. A seguir, veja as diferenças entre os tipos de teste do pezinho.

Teste do pezinho básico

teste do pezinho básico oferece a triagem considerada mínima, englobando 12 doenças. São elas:

  • hipotireoidismo congênito;
  • fenilcetonúria e outras hiperfenilalaninemias;
  • anemia falciforme e diversas hemoglobinopatias;
  • fibrose cística;
  • hiperplasia congênita da suprarrenal;
  • deficiência de biotinidase.

Teste do pezinho ampliado

O teste do pezinho ampliado permite detectar 30 doenças. São elas:

  • hipotireoidismo congênito;
  • fenilcetonúria e outras hiperfenilalaninemias;
  • anemia falciforme e diversas hemoglobinopatias;
  • fibrose cística;
  • hiperplasia congênita da suprarrenal;
  • deficiência de biotinidase;
  • hipotireoidismo congênito e deficiência de TBG (globulina ligadora da tiroxina T4);
  • aminoacidopatias e distúrbio do ciclo da ureia.

Teste do pezinho plus

O teste do pezinho plus pode detectar 33 doenças. São elas:

  • hipotireoidismo congênito;
  • fenilcetonúria e outras hiperfenilalaninemias;
  • anemia falciforme e diversas hemoglobinopatias;
  • fibrose cística;
  • hiperplasia congênita da suprarrenal;
  • deficiência de biotinidase;
  • hipotireoidismo congênito e deficiência de TBG (globulina ligadora da tiroxina T4);
  • aminoacidopatias e distúrbio do ciclo da ureia;
  • galactosemias;
  • toxoplasmose congênita.

Teste do pezinho master

O teste do pezinho master consegue diagnosticar 38 doenças. São elas:

  • hipotireoidismo congênito;
  • fenilcetonúria e outras hiperfenilalaninemias;
  • anemia falciforme e diversas hemoglobinopatias;
  • fibrose cística;
  • hiperplasia congênita da suprarrenal;
  • deficiência de biotinidase;
  • hipotireoidismo congênito e deficiência de TBG (globulina ligadora da tiroxina T4);
  • aminoacidopatias e distúrbio do ciclo da ureia;
  • galactosemias;
  • toxoplasmose congênita;
  • sífilis congênita;
  • doença de chagas;
  • citomegalovirose;
  • rubéola congênita.

Teste do pezinho expandido

O teste do pezinho expandido tem a capacidade de diagnosticar 60 doenças. São elas:

  • hipotireoidismo congênito;
  • fenilcetonúria e outras hiperfenilalaninemias;
  • anemia falciforme e diversas hemoglobinopatias;
  • fibrose cística;
  • hiperplasia congênita da suprarrenal;
  • deficiência de biotinidase;
  • hipotireoidismo congênito e deficiência de TBG (globulina ligadora da tiroxina T4);
  • aminoacidopatias e distúrbio do ciclo da ureia;
  • tirosinemias;
  • distúrbios da beta oxidação dos ácidos graxos e acidemias orgânicas;
  • deficiência de Acil-Coa e desidrogenase de cadeia média;
  • galactosemias;
  • toxoplasmose congênita.

Teste do pezinho completo

O teste do pezinho completo inclui mais de 100 doenças. São elas:

  • hipotireoidismo congênito;
  • fenilcetonúria e outras hiperfenilalaninemias;
  • anemia falciforme e diversas hemoglobinopatias;
  • fibrose cística;
  • hiperplasia congênita da supra-renal;
  • deficiência de biotinidase;
  • hipotireoidismo congênito e deficiência de TBG (globulina ligadora da tiroxina T4);
  • aminoacidopatias e distúrbio do ciclo da ureia;
  • tirosinemias;
  • distúrbios da beta oxidação dos ácidos graxos e acidemias orgânicas;
  • deficiência de Acil-Coa e desidrogenase de cadeia média;
  • doenças lisossômicas (Doença de Gaucher, Pompe, Fabry e MPS I);
  • galactosemias;
  • deficiência de G6PD;
  • SCID, AGAMA e outras imunodeficiências congênitas;
  • toxoplasmose congênita;
  • sífilis congênita;
  • doença de chagas;
  • citomegalovirose;
  • rubéola congênita;
  • soropositivo para HIV e
  • surdez congênita.

Por fim, alguns testes têm a opção de terem exames extras adicionados, conforme a prescrição médica. Por exemplo, o teste do pezinho master + HIV, o teste do pezinho master + MCAD, entre outros.

O que fazer quando o resultado dá positivo?

Quando o resultado do teste do pezinho dá positivo para alguma doença, indica-se realizar um novo exame comprobatório, mais específico. Segundo a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM), por mais assustador que essa situação seja, nem sempre a criança desenvolverá o distúrbio diagnosticado.

Mas, caso realmente ocorra, os pais devem manter a calma e seguir com o acompanhamento pediátrico. O início do tratamento deve ser feito o mais rápido possível, de preferência, envolvendo uma equipe multiprofissional. Assim, é possível não apenas reduzir a morbimortalidade, mas melhorar a qualidade de vida da criança.

Como escolher entre tantos tipos de teste do pezinho?

Com diversos tipos de teste do pezinho disponíveis, a escolha depende das orientações do médico pediatra neonatologista. Na Magscan, pode-se ter acesso tanto aos exames mais básicos como aos ampliados. Somos um centro de referência em medicina diagnóstica, considerado como uma das empresas de saúde mais bem conceituadas da região Norte. Se você prima pela segurança nos procedimentos, precisão nos resultados, atendimento humanizado e diversas facilidades (como agendamento e acesso aos laudos pela internet), conte conosco!

Caso ainda tenha alguma dúvida a respeito, entre em contato para que possamos ajudar. Além disso, siga a Magscan no Facebook e no Instagram e acompanhe outras dicas sobre cuidados preventivos e saúde da família!

Magscan - Medicina e Saúde
Hoje, a Magscan é uma das empresas de saúde mais conceituadas do Norte do Brasil. Em 2019, ampliou seu portfólio de serviços, indo além dos exames de imagem e inaugurando em seu laboratório de análises clínicas.
Resultado de Exames Agendar Exame
© 2010-2022 MAGSCAN - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS