Home | Exames | DEHIDROEPIANDROSTERONA (DHEA)

DEHIDROEPIANDROSTERONA (DHEA)

dehidroepiandrosterona (DHEA) é um hormônio esteroide, cujos níveis crescem durante a juventude e diminuem com o avanço do tempo. A dosagem de dehidroepiandrosterona (DHEA) permite quantificar a disponibilidade desse importante esteroide na circulação sanguínea.

A seguir, entenda mais sobre o papel do DHEA e saiba porque alguns especialistas solicitam sua avaliação. Veja, também, onde realizar a dosagem de DHEA em Manaus/AM.

O que é dehidroepiandrosterona (DHEA)?

O dehidroepiandrosterona (DHEA) é um hormônio esteroide natural. Ele é produzido, principalmente, pelas glândulas adrenais, gônadas e cérebro. Posteriormente, é convertido em hormônios sexuais (estrogênicos e androgênicos).

Em níveis normais, o DHEA e o sulfato de dehidroepiandrosterona (DHEAS) são os hormônios esteroides mais abundantes na circulação sanguínea. Além de serem precursores para os hormônios sexuais, eles exercem influência, direta, nas funções de diversos sistemas do organismo. Entre seus possíveis benefícios, destacam-se:

  • sensação de bem-estar;
  • mais disposição;
  • melhora do humor;
  • aumento da libido;
  • melhora da qualidade do sono;
  • aumento da força muscular;
  • aumento da densidade mineral óssea;
  • diminuição da gordura corporal;
  • redução da inflamação;
  • redução dos níveis de colesterol;
  • melhora da sensibilidade à insulina;
  • melhora da função cognitiva e da memória;
  • melhora do sistema imunológico.

Para quem a reposição de DHEA é recomendada?

Segundo as principais sociedade médicas, como a Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG) e a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM), a reposição do DHEA, assim como de hormônios conhecidos como “bioidênticos”, com o objetivo de retardar, modular ou prevenir o envelhecimento, é contraindicada.

Dessa maneira, a reposição só pode ser feita quando existir um déficit comprovado da substância no organismo e cuja reposição seja baseada em benefícios cientificamente comprovados.

Por que o médico solicita a dosagem de DHEA?

O DHEA, assim como sua forma sulfatada (o DHEAS, o qual é convertido na glândula suprarrenal, fígado e intestino), são secretados em pequenas quantidades durante a infância, aumentando ao longo do tempo. O ápice da sua concentração sérica se dá aos 30 anos de idade e, a partir de então, tem início sua redução nos níveis plasmáticos (queda da quantidade de DHEA e DHEAS encontrada no sangue).

Tanto a dosagem do DHEA, como a do DHEAS, é indicada para investigações de uma série de patologias. Por exemplo:

  • distúrbios ligados à hipersecreção de andrógenos, como puberdade precoce, amenorreia, infertilidade e hirsutismo (aumento da quantidade de pelos em mulheres);
  • distúrbios da glândula adrenal (hiperplasia ou hipoplasia adrenal congênita, carcinoma adrenal, síndrome de Cushing, doença de Addison, entre outros).

Sabe-se, ainda, que níveis adequados de DHEA estão ligados a menor suscetibilidade de idosos a infecções. Além disso, estudos clínicos e epidemiológicos sugerem que baixos níveis de DHEA podem estar associados a problemas como:

  • disfunção sexual;
  • perda de massa óssea;
  • doenças inflamatórias;
  • disfunção endotelial (como síndrome dos ovários policísticos);
  • Mal de Alzheimer;
  • aterosclerose;
  • doença isquêmica do coração.

Como o exame DHEA é feito?

O DHEA é um exame de sangue. Para realizá-lo, não é necessário jejum, mas a coleta deve ser feita preferencialmente pela manhã (até duas horas após o horário em que o paciente acorda habitualmente).

Também é necessário informar quais são os medicamentos em uso, principalmente, corticosteroides. A lipemia (excesso de lipídeos ou gorduras na corrente sanguínea) também pode interferir nos resultados.

Quais são os valores de referência?

Graças à estratificação de valores de referência, feita por intervalos de normalidade de acordo com a idade do paciente, a avaliação proporcionada pelo exame se tornou bastante precisa. Por isso, os valores de referência da dosagem de DHEA estão divididos por faixa etária. Conheça-os a seguir:

  • em pacientes maiores de um ano de idade a crianças (pré-puberes), 170 ng/dL (ou até 5,9 nmol/L;
  • de adolescentes a adultos (até os 30 anos), 240 a 1200 ng/dL (ou 8,3 a 42,7 nmol/L);
  • adultos acima de 31 anos, 120 a 870 ng/dL (4,2 a 30,2 nmol/L).

Onde realizar a dosagem de DHEA em Manaus?

Caso precise realizar um exame de dosagem de dehidroepiandrosterona (DHEA) em Manaus, conte com a infraestrutura de ponta da Magscan. Nossos técnicos altamente capacitados estão aptos a elaborar análises precisas.

Tudo para garantir a máxima assertividade dos resultados — fator essencial na definição dos tratamentos.

Faça seu agendamento pela nossa central de marcação online agora mesmo. Estamos inteiramente à disposição!

Resultado de Exames Agendar Exame
© 2010-2022 MAGSCAN - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS