Home | Blog | Outubro Rosa além do câncer de mama: 10 cuidados com a saúde da mulher

Outubro Rosa além do câncer de mama: 10 cuidados com a saúde da mulher

A campanha Outubro Rosa inspira cuidados com a saúde da mulher que vão muito além da prevenção do câncer de mama. Entre eles, há medidas simples, como a adoção de uma rotina mais saudável, por meio de algumas mudanças nos hábitos diários, e a realização dos exames periódicos solicitados pelo ginecologista.

Neste artigo, além de explicar o que é o câncer de mama, bem como a importância do seu diagnóstico precoce, listamos 10 cuidados que melhoram o bem-estar e a qualidade de vida das mulheres. Confira e coloque-os em prática quanto antes!

 

O que é o câncer de mama?

câncer de mama é o crescimento descontrolado de células anormais da mama. Ele ocorre, predominantemente, em mulheres, ainda que existam casos (raros) entre os homens.

Segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca), o tipo de câncer de mama mais frequente é o carcinoma de células epiteliais, sendo os mais comuns:

  • carcinomas ductais, que começam nos ductos mamários, por onde sai o leite;
  • carcinomas lobulares, iniciados nos lóbulos, glândulas produtoras de leite.

Em relação às lesões, elas podem ser:

  • in situ, restritas ao local de origem;
  • invasoras ou infiltrantes, quando se disseminam para o restante do tecido mamário.

principal fator de risco para o câncer de mama é a idade (acima dos 50 anos). Entre os elementos que contribuem para o seu aparecimento, destacam-se:

  • fatores genéticos (mutações dos genes BRCA1 e BRCA2);
  • fatores hereditários (histórico de câncer de ovário na família);
  • menopausa tardia;
  • obesidade;
  • sedentarismo;
  • exposição frequente a radiações ionizantes.

 

O que é o movimento Outubro Rosa?

O Outubro Rosa é um movimento internacional de conscientização em relação à importância do diagnóstico precoce do câncer de mama. Criado no início dos anos 1990, ele objetiva reduzir a incidência da doença e seus índices de mortalidade.

Em 19 de outubro, comemora-se o Dia Mundial de Combate ao Câncer de Mama. A data é celebrada anualmente e tem como objetivo:

  • reforçar a necessidade de reconhecer os sinais que o corpo apresenta;
  • chamar a atenção para o conhecimento do histórico familiar;
  • incentivar a adoção de hábitos saudáveis no dia a dia.

 

Qual é a importância de cuidar da saúde da mulher?

Os cuidados visam controlar os fatores de risco, ao menos, aqueles que podem ser modificáveis, e estimular os fatores preventivos. Ao adotá-los, estima-se uma redução de até 28% do risco de desenvolver a câncer de mama. A seguir, confira 10 medidas gerais que melhoram a saúde da mulher.

1. Ter uma alimentação saudável

Ainda que não existam alimentos milagrosos, uma dieta rica em alimentos in natura e minimamente processados, protege o corpo e diminui o risco de desenvolver a doença. Por isso, no dia a dia:

  • priorize o consumo de frutas, verduras, legumes (de preferência, sem amido) in natura;
  • coma cereais integrais, grãos e leguminosas;
  • evite comidas congeladas, biscoitos, salgadinhos, bebidas prontas açucaradas, etc.

A alimentação não é apenas uma questão de controle da obesidade e pode contribuir até para o desenvolvimento do câncer. Foi o que revelou um estudo epidemiológico da Universidade Federal de São Paulo, que evidenciou relação entre o consumo de alimentos industrializados e o crescimento das taxas de câncer nas grandes cidades.

2. Praticar atividades físicas regularmente

Junto da alimentação saudável, a prática constante de exercícios físicos ajuda a manter o peso ideal e prevenir a obesidade — um importante fator de risco para o câncer. As atividades físicas regulares ainda contribuem para:

  • equilibrar os níveis hormonais (reduzindo os níveis de estrógeno circulantes e a resistência à insulina);
  • reduzir o tempo do trânsito gastrointestinal (diminuindo o contato dos tecidos com substâncias cancerígenas);
  • fortalecer o sistema imune.

3. Cuidar da qualidade do sono

Dormir bem é fundamental para a saúde de todos. Mas entre as mulheres, o sono revigorante costuma ser mais longo do que entre os homens. Isso porque, além de exercerem múltiplas tarefas no dia, existe a influência dos hormônios.

Portanto, cuide da qualidade do seu sono. Para isso:

  • estabeleça uma rotina diária com horários para dormir e acordar;
  • providencie um ambiente escuro, silencioso e livre de telas (do computador, televisão, celular etc);
  • evite refeições pesadas próximas ao momento de se deitar;
  • não consuma bebidas estimulantes (café, refrigerante etc) a partir do final da tarde;
  • não pratique atividades físicas intensas próximo ao horário de dormir.

4. Evitar o estresse

Pesquisas comprovam a relação entre o estresse psicossocial e o desenvolvimento do câncer. O estresse é considerado um fator de risco para a doença, pois aumenta a liberação de cortisol e outros hormônios responsáveis por manter o organismo em um processo de inflamação contínua — colocando-o sob maior risco oncológico.

Encontrar formas de minimizar o impacto do estresse no dia a dia é muito importante. Muitas pessoas, por exemplo, têm buscado o tão desejado equilíbrio nas técnicas de meditação. Mas seja meditando ou encontrando outras maneiras, o importante é descobrir o que funciona para você.

5. Fazer exames preventivos

Comparecer às consultas periódicas de rotina e fazer os exames de check-up solicitados pelo ginecologista é fundamental para cuidar da saúde da mulher. Entre eles, destacam-se:

  • mamografia, essencial para diagnosticar, precocemente, o câncer de mama, sendo requisitada, anualmente, após os 40 anos de idade;
  • Papanicolau, importante para a prevenção do câncer de colo de útero, sendo realizado, geralmente, a cada três anos em toda mulher que já iniciou a vida sexual (especialmente, dos 25 aos 59 anos).

6. Evitar o consumo de bebidas alcoólicas

As mulheres, ainda mais do que os homens, devem evitar o consumo excessivo de bebidas alcoólicas. O etilismo leva a diversos prejuízos para a saúde, tais como:

  • maior ganho de peso, por conta das calorias das próprias bebidas (chamadas calorias vazias) e da frequente combinação com comidas hipercalóricas e pobres em nutrientes;
  • diminuição da absorção ou prejuízos ao metabolismo de nutrientes;
  • desenvolvimento de transtornos de humor, como depressão e ansiedade;
  • risco dobrado de ter câncer de mama, em comparação a mulheres abstinentes;
  • danos ao fígado; entre outros problemas de saúde.

7. Não fumar

O tabagismo feminino está associado ao maior risco de adoecer e morrer precocemente. Considerando as patologias que mais matam mulheres (doenças cardiovasculares, câncer e doenças respiratórias) todas estão relacionadas ao cigarro.

Além disso, fumar aumenta o risco de ocorrerem diversas intercorrências na gestação. Então, busque a ajuda que for necessária, mas não fume.

8. Beber bastante água

A água é essencial para manter as funções do organismo. Uma boa hidratação é capaz de:

  • regular a temperatura corpórea;
  • desintoxicar o corpo;
  • permitir o transporte e a absorção de nutrientes;
  • ajudar no emagrecimento;
  • deixar a pele mais bonita.

Já a falta dela leva a sintomas como dor de cabeça, tontura, fadiga, fraqueza, entre outros. Além disso, gera prejuízos ao funcionamento do coração.

Ainda que a quantidade ingerida diariamente varie de pessoa para pessoa, estima-se que 2 litros (cerca de oito copos) são suficientes para suprir as necessidades diárias.  Mas não espere sentir sede para se hidratar, o que já é considerado um sinal de desidratação. Beba água frequentemente, como um hábito.

9. Não se expor ao sol sem proteção

A exposição a luz solar sem a devida proteção não somente é um fator de risco para o câncer de pele, como acelera o envelhecimento da derme. Evitar se expor das 10 às 16 horas (horário de maior intensidade da radiação UV) e usar filtro solar com fator de proteção igual ou superior a 30 ajudam a prevenir maiores danos.

10. Cuidar da saúde mental

Ter uma boa saúde mental evita que as mulheres descuidem dos autocuidados, fazendo com que sejam vigilantes em relação à própria saúde. Por isso, ao manifestar sintomas de transtornos psíquicos, deve-se buscar ajuda de um terapeuta (psicólogo ou psiquiatra).

Outras maneiras de aliviar os problemas emocionais são as terapias alternativas. Homeopatia, auriculoterapia, aromaterapia, reiki e shiatsu estão entre as principais opções.

 

Como são os cuidados específicos em mulheres com câncer de mama?

Para cada ano do triênio 2020-2022, o Inca estima 66.280 novos casos de câncer de mama no Brasil — são mais de 60 novos casos por ano, para cada 100 mil brasileiras. Entre todos os tipos de câncer, ele é o mais prevalente no público feminino.

tratamento do câncer de mama varia conforme o estadiamento (fase em que a doença se encontra) e pode incluir cirurgia, radioterapia, quimioterapia, hormonioterapia e terapia alvo. Não custa lembrar que o diagnóstico precoce do câncer permite usar tratamentos menos agressivos e ter melhores taxas de sucesso.

Em relação aos cuidados em mulheres diagnosticadas com a doença, além das medidas gerais multidisciplinares mencionadas, eles variam de acordo com as condições clínicas, o tipo de tratamento e o estágio da doença. Tudo isso é explicado, de maneira individual, pelo oncologista.

Para concluir, independentemente do diagnóstico de câncer de mama, aproveite as dicas do Outubro Rosa e as demais orientações listadas neste artigo. E em caso de suspeita (presença de nódulos ou outras alterações), procure seu médico. Como mostrado, quanto melhores os cuidados com a saúde da mulher, melhor sua qualidade de vida!

Se você gostou deste conteúdo, siga nossas redes sociais e veja outras maneiras de se cuidar. Estamos no Facebook e Instagram!

Magscan - Medicina e Saúde
Hoje, a Magscan é uma das empresas de saúde mais conceituadas do Norte do Brasil. Em 2019, ampliou seu portfólio de serviços, indo além dos exames de imagem e inaugurando em seu laboratório de análises clínicas.
Resultado de Exames Agendar Exame
© 2010-2022 MAGSCAN - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS